Arquivo da categoria: i’m lovin’

INSPIRATION: STYLE SCRAPBOOK

Ando numa fase muito básica. Talvez por isso o estilo da Andy Torres, a blogueira por trás do Style Scrapbook , tenha me chamado tanto a atenção. Andy, que é mexicana, trabalha como stylist em Amsterdam é sempre impecável, porém despojada.

Os looks da Andy são básicos, o que os tira do lugar comum é o jogo de proporções, já que ela brinca muito com comprimentos e ombros marcados. Andy é bem econômica no uso de estampas e cores chamativas, e quando as usa, centraliza o look nelas. Andy também é muito detalhista, e costuma pontuar seus looks mais simples com sapatos – de preferência botas – sobreposições e cintos.

(Andy num momento reles-mortal de all-star)

Inspiração até pro jeans e camiseta.

 (fotos: style scrapbook)

Anúncios

panamá is the new black

Dia desses realizei um sonho quase infantil, comprar um chapéu panamá.

Apesar do nome, o chapéu panamá é produzido no Equador com uma palha chamada toquilla, que deixa o chapéu maleável pero no mucho.

O panamá pertence a aquela categoria de clássicos, como o wayfarer, a perfecto e o trench-coat de gabardine e os adeptos incluem Getúlio Vargas, Santos Dumont e Kate Moss.

Vale lembrar que o panamá é um chapéu de verão e, no máximo, primavera.

Além de ir à praia e fazer companhia pra vestidinhos, shorts desfiados e camisetas podrinhas, o panamá – que pede looks simples e informais – fica ótimo com blazer ou calça boyfriend, oxfords e peças que tragam esse perfume masculino em geral.

 

Esse panamá da Maria Bonita Extra é culpado pelo início da minha obsessão.

Quando parar de chover em Porto Alegre e eu, além de me animar a usar o panamá, LEMBRAR de tirar uma foto com ele, posto aqui.

 

Petição: Phoenix em POA

Hoje me deparei com a notícia de que havia uma possível data livre na agenda brasileira de uma das minhas bandas preferidas, o Phoenix (que vai tocar no Festival Planeta Terra  -SP – e em BH) e decidi criar uma petição para trazê-los a (crase?) minha querida cidade de clima indeciso, Porto Alegre. Quem quiser ajudar, assina e se possível, passa adiante.

Pra quem não conhece..

e ao vivo na praça Trocadero, em Paris (e sim, NO MEIO DA RUA E DO NADA!)

“From a mess to the masses..”

i’m lovin’: the xx

O trio (ex quarteto) de Londres é uma das bandas mais hypes da atualidade, e não é a toa, já que o som deles é ótimo:

(heart skipped a beat)

(islands)

curtiram?

ps.: desculpa ter abandonado o blog essa semana, mas eu fiquei numa correria e me desorganizei..

beijos, Laurinha.

garance is the new black

fall 2010, moschino.

photos by garance doré.

foto surrupiada do site (http://oimoda.com.br/news/garance-dore-faz-sua-primeira-campanha-publicitaria-com-perfume-street-style/)

i’m lovin’

Sou apaixonada por listas. Listas de coisas a fazer, wishlists e outras bobagens listadas em geral. Hoje, decidi compartilhar aqui – em forma de lista, é claro – minhas últimas manias, paixões, desejos e playlists.

  • Louis Garrel: ator francês, protagonista do último melhor filme que eu vi (La Belle Personne, próximo item da lista). geminiano e filho do cineasta Phillipe Garrel.  Louis também é protagonista de outros inúmeros filmes indies, como Canção de Amor e Os Sonhadores. Louis também foi fotografado para a Vogue L’Uomo em março de 2008, por Bruce Weber. O que apaixona de verdade é a naturalidade de Louis , quase como se não estivesse interpretando, e sim simplesmente agindo; além de seus cabelos e jeito bagunçados e até um pouco rudes, se não fossem carregados de uma doçura cafajeste. Mas eu sou suspeita pra falar, hahahaha.

  • La Belle Personne, ou A Bela Junie: O filme conta a história de Junie, uma jovem de 16 anos que, após perder a mãe, se muda para a casa dos tios e passa a estudar em no colégio de seu primo. Enturma-se facilmente e envolve-se com um dos amigos de seu primo, que está perdidamente apaixonado por ela. Porém, Junie desperta a atenção de seu professor de italiano (Louis Garrel). O filme é inspirado no romance La Princesse de Clèves, de Madame La Fayette. O filme leva a uma reflexão sobre sentimento e relações em geral, se estamos dispostos a sacrificar tudo por amor e se o amor é uma escolha consciente ou não.
  • Edie Sedgwick: Musa inspiradora de Andy Warhol e de Bob Dylan, Edie foi também uma das primeiras It-Girls, nomeada como tal pela Vogue. Como muitas outras mulheres apontadas como It, Edie teve problemas com peso, bebida, drogas, remédios, depressão e etc. Porém, o que me prende na Edie é o estilo único e quase over – se não fosse tão natural para ela – de seus olhos extremamente maquiados, cabelo curto, brincos gigantes e meia-calça preta (reza a lenda que ela saía da aula de dança e tinha preguiça de trocar de roupa, então jogava vestidos e camisetões por cima do collant e da meia-calça, quando não continuava usando apenas collant e meia-calça). Edie também era apaixonada por peles, estampa de leopardo, listras e chapéus, fazendo deles, seu uniforme.

Uma das inúmeras músicas compostas sobre Edie é Femme Fatale, do Velvet Underground e foi escrita a pedido de Andy Warhol. No clipe, feito com imagens da Edie, é possível observar melhor a forma com que ela se vestia e se maquiava.

vou parar por aqui pra não deixar o post muito longo.

hope you like it, beijos.