Sobre sapatos e amor à primeira vista.

Uma vez, li que encontrar um namorado era como escolher um par de sapatos. Toda mulher deve saber que não existem regras para encontrar um sapato, já que, na verdade, ele é quem lhe encontra, e não você que o escolhe entre todos os outros. Certamente, toda mulher já teve um sapato mais-ou-menos que lhe valia mais do que todos os outros, um sapato maravilhoso que lhe fazia morrer de dor nos pés e um que, depois de anos, resolveu lhe encher os dedos de bolhas e calos.

Confesso que meu comportamento para comprar sapatos define bastante o meu comportamento sentimental. Lembro-me perfeitamente do último par de sapatos de salto que comprei. Era janeiro e eu ainda chorava o último fora e a perda das minhas inestimáveis sandálias pretas, básicas, inseparáveis, estilo gladiador, pesadas. O salto do pé esquerdo havia entortado de tanto usá-las. A culpa não era minha se elas combinavam com todo o meu armário.  Eu havia passado o dia caminhando, quando vi uma loja de sapatos. O dia havia sido ótimo, mesmo que longo, e eu e minha mãe (melhor amiga, fiel escudeira e motorista), quase como nômades perdidas no deserto, entramos na loja, sedentas por lançamentos de verão.

Ao entrar na loja, me deparei com um par de sandálias pretas de salto muito alto, meia pata e tiras grossas, que embora não fosse o par mais bonito da loja, havia me chamado a atenção da porta. O único número da loja. O meu número. Ao sentar no pequeno pufe de couro e puxar o pequeno fecho dourado da sandália, sabia que aquele sapato deveria ser meu.

Desnecessário dizer que vivi um caso de amor à primeira vista. Até hoje, vivo um caso de paixão com minhas queridas sandálias, que nunca me fizeram uma bolha sequer, e todas as vezes que as calço, sinto-me um pouco mais poderosa.

Naquele dia, eu não havia me planejado para comprar sapatos e, para dizer a verdade, o esmalte dos meus pés estava descascando. Minhas fiéis sandálias pretas me ensinaram uma enorme lição, não há porque criar expectativas enormes ou se prender a velhos apegos, o destino estará lhe aguardando na esquina, o inesperado acontece. Naquele dia, minhas sandálias me fizeram acreditar em amor, mais uma vez.

E uma dorzinha no pé, uma vez ou outra, acontece.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s